Tempo em Guararema
21°
tiempo.com  +info
GUIA

40 anos de Jovil’s Modas

Conheça a história de uma das lojas mais tradicionais de Guararema.

O professor João Scherma ainda morava em Santo André quando começou a namorar com Vilma. Ele estava terminando a faculdade de Geografia, enquanto Vilma havia começado a trabalhar na loja da Rachel, irmã de João.

Quando João voltou para morar em a href=http://guararematem.com.br/ target=_blankGuararema/a, ele estava recém-formado e por isso estava difícil de conseguir aulas, o casal decidiu então montar um negócio juntos, e como Vilma gostou muito de trabalhar no comércio, decidiram abrir uma loja.

Para comprar os produtos e começar a loja, lá se foi o Fusca 65 (pé de boi como disse o prof. João). Venderam o fusquinha para que pudessem comprar as mercadorias. A loja então foi montada no porão da casa da mãe do João. Deram o nome da loja de Jovil’s que é a junção dos nomes “Jo” de João e “Vil” de Vilma, então fizeram uma placa de madeira pintada a mão e penduraram no portão de ferro azul da casa.

A loja começou com bijuterias confeccionadas pela própria Vilma. Numa conversa com João, Dona Antonia costureira (Mãe da Marilene Piere) sugeriu que eles vendessem também aviamentos (Dona Antonia estava certa, a loja vende aviamentos até hoje!). Logo começaram também a vender calça jeans “Dujo” e roupas do bairro “Bom Retiro” de São Paulo, além de artigos para presentes como cintos e carteiras.

O tempo foi passando e a loja ficou no porão por mais ou menos um ano. Naquela tempo a rua Dr. Silva Pinto não era uma rua movimentada para se ter uma loja, o ideal era a rua Major Paula Lopes, onde hoje é o calçadão.

Enquanto a loja ainda estava no porão, João com ajuda da sua mãe Dona Isaura começaram a construir o prédio, no terreno vizinho onde é a loja até hoje.

No prédio novo em 1978, Maybi ainda era pequena (primeira filha do casal) João chegou em casa contando que havia passado um vendedor das roupas de marca “Marisol” e que havia comprado como se fosse hoje 2 mil reais em mercadorias. Vilma achou um absurdo, afinal como fariam para pagar? O resultado foi que as roupas foram bem aceitas pelos clientes, e a loja passou a vender também outras marcas.

João Scherma recorda de um ano que a loja realizou um desfile para arrecadar dinheiro para a “Escola de Samba”, já que João participava da diretoria da Escola, foi um modo para que eles conseguissem fazer o desfile de rua no carnaval daquele ano!

Vilma conta que os filhos Maybi, Iris e Cassiano cresceram “dentro” da loja e que todos eles sempre colaboraram, pois compreendiam que era de lá que saia o sustendo da família. Ela fala de como foi importante a união da família, pois dessa forma tiveram persistência para continuar com a loja, já que o país passou por diversas crises financeiras.

Atualmente Íris filha do casal, junto com o marido Fernando estão assumindo a loja. E a história continua…

Comentários (0)
Comentar