Tempo em Guararema
23°
12°
tiempo.com  +info
GUIA

Estreia Mais Forte que o Mundo

por Rai Jr.

O Zé Loreto é um ator obstinado. Trabalhei com ele apenas uma vez, mas o suficiente para entender que ali existe alguém que está na profissão por nada além do próprio ofício, sem vaidade ou idiossincrasia, sem trono e frescura. Sua integridade como profissional fica óbvia em “Mais Forte que O Mundo”, filme que estreou no Cinema de a href=http://guararematem.com.br/ target=_blankGuararema/a nesta semana. A entrega deste ator para a história comove a plateia do início ao fim, a conquista e se torna imprescindível para o sucesso desse filme que está desde o dia 15 de junho em cartaz, coisa que – amém: vem se tornando menos rara para os filmes brasileiros há alguns anos.

Quem é fã desse “gênero” brasileiro de filmes não vai se espantar com a semelhança de técnica entre este filme e “Dois Coelhos”, de 2012. Ambos são de Afonso Poyart, experiente diretor de Cinema que usa sua experiência em publicidade muito bem em seus mais recentes produtos. Ele sabe fazer cenas de ação e brigas sem deixar nada a desejar ao cinema hollywoodiano. Entre estes dois filmes, ele fez também “Presságios de Um Crime”, com Anthony Hopkins. Junto com José Padilha e Fernando Meirelles, é um dos diretores brasileiros mais bem-vistos no mercado audiovisual mundial.

Títulos e méritos pessoais de lado, o filme sobre a vida de José Aldo não importará apenas para quem gosta de luta e/ou conhece a personalidade real. A narrativa nos conduz através da história de mais um herói brasileiro que começa como anti-herói. Nada é novo para a gente. Família pobre, pai alcoólatra, mãe-base, humildade feita a força. O êxodo da periferia, a paixão impossível, o desenvolvimento em um mundo novo, a descoberta de novos horizontes. Histórias que a gente vê todo domingo no Fantástico. E, talvez por isso mesmo, a realidade se torna fantástica e nos atinja cognitivamente. Exatamente por já a conhecermos, exatamente por estar tão próxima. E aí já não importa mais quais são os (belos) artifícios do diretor e a grande competência do protagonista, sobre o que falo nos primeiros parágrafos. Nos importa o espelho.

Esse longa-metragem é um oásis atual entre as multiplicações exponenciais de comédias românticas (sem graça) disponíveis no mercado de Cinema Nacional. Há estrelas para a trilha sonora, para a fotografia e para tantos outros departamentos que o tempo me impede de aqui criticar. Vida longa a esse talento brasileiro mais forte que o mundo.

nbsp;

iframe width=560 height=315 frameborder=0 src=https://www.youtube.com/embed/Ra1vzA_5VVc?rel=0/iframe

Comentários (0)
Comentar